Dia do Jornalista

por Juliana Muniz em 7 de abril de 2014

1 Comentário

Hoje é o dia daquele que pega sol e chuva pra te dar os mínimos detalhes do que anda acontecendo por aí. Aquele que informa a situação do trânsito, a previsão do tempo, a cotação do dólar, os trambiques da presidenta. Que se esforça, mas lá no fundo, não consegue manter a imparcialidade. Aquele que tem um affair com a cafeína e possui 90% de chance de ter uma gastrite seguida de uma úlcera, ou quem sabe, algumas ameaças de morte por causa daquele artigo que expôs a galera do “rabo preso”. Que trabalha muito e ganha muito… pouco, mas que ama essa profissão ingrata. E, independente de debates sobre credibilidade, hoje é dia de dar os parabéns pros produtores de conteúdo informativo. Seja lá qual for o segmento ou a editoria.

Uma vez ouvi uma frase que me deixou um tanto quanto indignada. Um sujeito carente de senso crítico e noções da vida disse que “jornalista é um ator frustrado”. Foi aí que percebi como muitas pessoas tem um conceito errado sobre nossa profissão. Muitos entram no curso sonhando em ser âncoras de telejornais famosos. Coisa mais comum é primeiranista falando que quer ser correspondente internacional e ficar famoso. Gente, parou por aí! Ser jornalista não tem nada a ver com fama. Lógico que é muito bom sonhar com uma carreira de sucesso, mas tem muito mais por trás disso tudo. Afinal, gente da cabeça oca nunca vai ter uma carreira de sucesso… pelo menos não no jornalismo.

Saiba que se você optar por cursar jornalismo, vai sofrer uma grande mudança de senso crítico. É um curso que agrega muito no amadurecimento. Alguns amadurecem até demais e acabam entrando no nível da arrogância, se achando os seres mais sábios do planeta, mas isso não vem muito ao caso hoje.

Quero aproveitar essa data pra aconselhar a galera que pretende cursar ou que está no comecinho do curso. O jornalismo é uma área muito ampla. O básico é gostar de escrever. Mas não só gostar, saber. Ter respeito pela língua portuguesa. A partir daí, tem espaço pra todo mundo. Política, mundo, economia, esporte, cultura, tecnologia, moda, ciência, saúde. É editoria pra mais de metro. Sem falar nas possibilidades de veículos: TV, rádio, web, impresso, revista, blog, web tv e por aí vai. Você vai se decidir e mudar de ideia muitas vezes durante o curso.

Eu, por exemplo. Entrei achando que ia ficar no impresso, mas depois fui me apaixonando por TV e depois por produção e depois por edição de vídeo… ai. O que eu realmente acho importante é procurar ser um jornalista bem versátil. O mercado procura por isso. Tente aproveitar ao máximo todas as matérias. Mesmo que você não curta rádio, ou clame ser fiel ao jornal impresso. É importante se envolver ao máximo em todas as disciplinas. Porque quando a formatura chegar, vai ser tarde demais pra correr atrás do tempo perdido.

Quase ninguém se forma esbanjando ofertas de emprego. No começo é assim, o que aparece a gente abraça. E por isso é muito importante saber fazer de tudo. E fazer bem feito. Por favor, né gente.

  • Katia m. muniz

    Querida Ju, parabéns pelo seu dia. Quero dizer que tenho muito orgulho da pessoa e profissional em que você se tornou. Acredite e continue confiando que nosso Deus tem algo muito especial pra você.

Google+