Ano novo, rede social… nova?

por Henrique Félix em 7 de janeiro de 2014

1 Comentário

O fato é: Estamos cansados do Facebook. Por mais que você diga que está numa boa (o que eu acho difícil), tem que admitir que ele está ficando chato e monótono, principalmente por conta da “orkutização” da rede. E a grande ironia é que talvez nossa próxima opção esteja no mesmo lugar de onde veio o Orkut.

Estamos falando do Google+, a rede social do Google (jura?). Desde 2011 ela está aí pra todo mundo usar. A grande questão é que foi exatamente nessa época que o Facebook começou a substituir o Orkut e posteriormente virou a febre dos internautas brasileiro. Mas talvez em 2014 o G+ ganhe cada vez mais adeptos. Por isso, resolvi fazer um teste da rede tanto no navegador quanto no celular pra ver como se ela sai.

Primeiras impressões

Eu usei o Google+ logo no começo da rede, em 2011. Agora que eu voltei, senti uma grande diferença do que ela era naquela época pra o que se tornou agora. Tudo está mais limpo, bonito, objetivo, bem localizado, responsivo, menos confuso e com muitas funções relevantes.

A timeline

Timeline

Sem dúvida é mais limpa e bonita que a do Facebook. Os tipos de postagens são bem mais objetivas, divididas entre texto, foto, link, video e evento. O reconhecimento de link e vídeo é muito mais rápido. Os comentários e compartilhamentos estão lá para serem feitos, sem muito mistério. O lado ruim da coisa é que se você faz parte de uma comunidade (herança do orkut), os posts dessas comunidades aparecem por lá a princípio, mas é possível eliminar isso. Além disso, o próprio Google+ coloca tags automáticos no seu post, baseado no que você escreveu.

A parte ruim fica por conta dos GIFs. Eles são engraçados no Tumblr ou em blogs. Até agora eles são também engraçados no Plus, mas acredito que isso acabe quando meus vizinhos migrarem e começarem a postar “Feliz Ano Novo” cheio de brilhos e flores. Imagina como não será pior que o Facebook?!

Amigos

Circulos

Essa é a parte que dá o Plus do Google+. Você não precisa ser amigo de quem é seu amigo. Além disso, você os adiciona a círculos de interesses, como Faculdade, Trabalho e etc. Esses grupos servem tanto para visualização de conteúdo na timeline quanto para a seleção de quem vai poder ver o seu post. Você pode mandar aquele video que tem a ver com a aula passada para o grupo da Faculdade, e só eles poderão ver aquilo. Dá pra falar mal de alguém e deixar essa pessoa sem poder ver a postagem (mas isso é pra quem não é gente o suficiente).

Fotos

Fotos

É foto que não acaba mais. Elas vão estar em alta qualidade, com possibilidade de tratamento de fotos e marcação de pessoas de forma inteligente. Mas cuidado quando você postar sua primeira foto, porque os filtros de correção de cor do Google estarão pré ativados. A parte ruim é que é muito complicado organizar as fotos em pastas. Dá pra fazer, mas ainda não é tão intuitivo quanto no Facebook.

Perfil

Perfil

Os campos a serem preenchidos são bem maiores que os do Facebook. Algumas informações são mais relevantes para serem adicionadas a rede, além das opções de privacidade serem um pouco mais personalizáveis. Senti falta da possibilidade de reconhecimento de parentes e da namorada.

Hangout

Hangout

É o chat do Google. Por lá é possível conversar por texto, enviar imagens e emoticons. Mas também é possível fazer uma video conferência com até dez pessoas. Isso o Skype faz, mas não é de graça. O delay ainda é um problema, considerando que você gostaria de conversar em tempo real com as pessoas. Isso sim o Skype e o FaceTime fazem muito bem. É possível gravar a conversa no YouTube, mas das ultimas vezes que tentei fazer isso, não obtive sucesso.

Comunidades e Páginas

Comunidades

Como já falei, existem comunidades, que são coisas de fãs ou interessados no assunto, mas que não tem necessariamente um administrador oficial de conteúdo. Também existem as páginas, igualzinho no Facebook, com postagens de imagens, textos, links e vídeos oficiais da empresa, marca, banda ou qualquer coisa. Pra quem trabalha com as Páginas, um ponto negativo é que dentro do Google+ não é possível programar o seu post para um horário específico, mas existem alternativas externas para isso.

O App

App

O aplicativo para smartphones tem tudo que a rede social oferece. É ótimo para postar fotos, compartilhar sua localização, postar algum texto e compartilhar vídeos. Além disso, é integrada aos aplicativos do Youtube e do Hangout. O App do Hangout separado poderia ser um ponto a menos para o Google+, já que o Facebook tinha a função do chat dentro do seu App oficial, mas agora, isso já era. Ambos estão pau a pau. Talvez falte um pouco mais de polimento no app para iOS, mas é só uma questão de design.

Considerações finais

A rede social é muito bonita visualmente. Funcionalmente ela também é melhor que o Facebook, apesar de eu sentir falta dos grupos de vez em quando (Os círculos não tem a mesma função). O Google+ está pronto pra receber todo mundo, ou quase isso, mas ainda falta o que faltava para o Facebook em 2009, pessoas. Sem elas a rede fica monótona e vazia. Quando elas começarem a migrar para lá, quem sabe comece a ficar realmente interessante.

Agora você me pergunta, “devo ir para o Google+?”. Minha resposta é: Combine com seus amigos de todos fazerem um teste da rede juntos. Quem sabe assim vocês poderão aproveitar maior parte das funções. O começo do ano é uma época de tentar coisas novas, então porque não tentar uma rede social nova?

  • Adrienne

    Mas que orgulho desse meu irmão distante!

    É verdade que faltam pessoas no G+, mas isso não é de todo ruim pra mim, confesso.

    Saí do Facebook porque queria me livrar de uma ruma de gente [babaca].

    E o melhor do “Plus”, como você diz, são as comunidades que aparecem em forma de “páginas”. A galera que se dedica a escrever os posts é bem fiel e os textos parecem ser especialmente bem escritos para esta nova rede social.

    Uso o G+ todos os dias, apenas para ler textos legais e informativos como esse seu.

    Beijo!

Google+